sábado, 27 de fevereiro de 2016

Um coração aberto e atento

"Deus Nosso Senhor não precisa que ganhes o euromilhões
Apenas que mantenhas o coração aberto e atento!"

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Um colóquio que se aguarda com impaciência

A oração é "Um colóquio que se aguarda com impaciência, à qual se acode com fome de conhecer melhor a Jesus e de trata-lo.
Uma conversa que se desenvolve com delicadezas de alma enamorada e que se concluí com desejos renovados de viver e trabalhar só para o Senhor"
 
in "Recuerdos de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP
Pág. 279

A prontidão para as pequenas mortificações voluntárias

"(...) a disponibilidade para servir a todos, a enorme capacidade de trabalho e sobretudo, a decisão de estar sempre atento ao que Deus lhe pedia, com a oração e a mortificação; nunca reduzia a mortificação que é outro modo de rezar.
Além da prontidão com que cumpria o próprio dever, inclusive nos dias de doença e esgotamento físico, vi-o praticar pequenas mortificações voluntárias (...)"


Comentários de D. Javier Echevarria sobre o Beato D. Álvaro del Portillo

in "Recuerdos de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP
Pág. 281

Síntese entre acção e contemplação

"A visão sobrenatural fazia-o trabalhar com sossego e eficácia e acabar as coisas pontualmente.
Refletia a realidade de uma síntese harmoniosa e atrativa entre oração e ação e comprovava-se que a vibração, numa alma contemplativa, de nenhum modo conduz a agitações ou nervosismos, porque, sobre o evidente afinco humano, prevalece o abandono nas mãos de Deus- de Quem tudo se espera"


in "Recuerdos de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP
Pág. 281

Desejos de agradar a Deus

"(...) Que os desejos de agradar-Lhe que albergo no meu coração e que, pela graça divina, procuro renovar muitas vezes em cada dia, sejam chispas acesas no seu Amor, que queimem todas as minhas misérias, que me purifiquem e me incendeiem mais e mais no anelo de unir-me plenamente ao meu Deus e dar-Lhe a conhecer a todas as criaturas"

Oração do Beato Álvaro del Portillo.

in "Recuerdos de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP
Pág. 293

Age quod agis

 

Faze o que fazes. Presta atenção no que fazes; concentra-te no teu trabalho.

Lançar-se nos braços de Jesus

«Se a ovelhinha soubesse
quanto amor arde por ela
no coração do Amante divino
não tornaria difícil a tarefa
àquelas doces mãozinhas de Jesus,
que desejam abraça-la
e lançar-se-ia por si,
nos Seus braços amorosíssimos.»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Novenas, Pensamentos e Poesias. 27

Presença de Deus durante o dia

«Um modo de recolher facilmente o espírito
durante o tempo da oração
e de o ter em maior repouso
é não o deixar ganhar asas durante o dia.
É necessário mantê-lo rigorosamente
na presença de Deus:
e estando habituada a vos lembrar Dele
de tempos a tempos,
será mais fácil permanecer tranquila
durante as vossas orações,
ou pelo menos chamar o espírito
dos seus devaneios.»


Beato Francisco Palau | 1811 – 1872
Carta07. A uma religiosa. Sem data.

Holocausto nas pequenas coisas

«Está atenta às pequenas coisas:
tudo é grande diante do Senhor.
O Senhor não quer rapina no holocausto.
Dá-Lhe tudo.»

Beata Maria de Jesus Crucificado | 1846 - 1878
Elevações espirituais. 56

O tempo para amar é curto

"Tempus breve est": o tempo para amar é curto.
Ao que respondia: "Ecce adsum! Aqui me tens, Senhor"

In Recuerdo de Alvaro del Portillo, Salvador Bernal.
RIALP.
Pág.277

Ut iumentum

"Ut iumentum, sempre in laetitia, como burritos, mas sempre com alegria; ainda que nos dêem pauladas.
Que pode acontecer !?
Nós, sempre adiante, sempre com alegria".
 
Beato Álvaro del Portillo.
 
In "Recuerdo de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP. pág. 286.

Ser santo é dizer sempre "sim"

«Ser santa não é ser indolente,
é saber dar-se, entregar-se,
dizer sempre «Sim!» a tudo
o que o Senhor quiser,
com amor, com alegria
e generosidade.
Isto é viver a luz de Deus
que habita em mim,
viver na luz,
viver da luz
e viver para a luz!
Ser receptáculo da Luz Divina,
dessa Luz que é Deus,
que mora em mim
e me absorve em Si, -
Sou assim uma pequena centelha de Luz Imensa
que é Deus!
Amo-Te Senhor,
porque Tu és Amor!»

Serva de Deus Irmã Lúcia de Jesus | 1907 – 2005
O Meu Caminho, Vol. II, p.381

Comungai com fome

"Comungai com fome, todos os dias, ainda que não tenhais vontade, ainda que estejais gelados.
Dizei-lhe que quereis manifestar-lhe o vosso amor e a vossa fé, porque Cristo está realmente presente na Hóstia, com o seu Corpo, com o seu Sangue, com a sua Divindade
Confiai a Jesus que O amamos de verdade, que Lhe agradecemos que tenha ficado; dizei-O com o vosso coração de gente jovem, cheio de ilusão, cheio de amor".
 
S. José Maria Maria Escrivá citado pelo Beato Álvaro del Portillo
 
In "Recuerdo de Alvaro del Portillo". Salvador Bernal. RIALP. Pág. 296
 

Levar a cruz no coração

«Vai sempre para a frente
levando a tua bandeira,
levando a cruz no teu coração.
E tem sempre pronta a tua arma:
a oração.
Só assim, minha filha,
podes e deves combater e vencer
na disciplina e na ordem;
podes e deves obedecer
até ao sacrifício;
podes e deves praticar a caridade
interna e externa
com generosidade e heroísmo.
Para a frente, sempre, no nome santo de Deus!»

Beata Maria Josefina de Jesus Crucificado | 1894 - 1948
Escritos Vários. Pág. 8

As pequenas flores e os pequenos cânticos de cada dia

«Não tenho outro meio de Te provar o meu amor,
senão o de lançar flores,
isto é,
não deixar escapar nenhum pequeno sacrifício,
nenhum olhar,
nenhuma palavra;
aproveitar todas as mais pequenas coisas
e fazê-las por amor[...]
Jesus,
para que Te servirão as minhas flores
e os meus cânticos?
Ah! bem sei,
esta chuva perfumada,
estas pétalas frágeis e sem nenhum valor,
estes cânticos de amor
do mais pequeno dos corações,
encantar-Te-ão.»


«Sim,
estes nadas alegrar-Te-ão,
e farão sorrir a Igreja triunfante.
Ela recolherá
as minhas flores desfolhadas por amor
e, fazendo-as passar pelas tuas divinas mãos, ó Jesus,
a Igreja do Céu,
querendo brincar com a sua filhinha,
lançará também ela essas flores,
que adquiriram pelo Teu toque divino um valor infinito,
lançá-las-á sobre a Igreja padecente para lhe extinguir as chamas,
e lançá-las-á sobre a Igreja militante
para a fazer alcançar a vitória!... »

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B. 4vº


«Sim, meu Bem-amado! Assim se consumirá a minha vida...
Não tenho outro meio de Te provar o meu amor,
senão o de lançar flores,
isto é, não deixar escapar nenhum pequeno sacrifício,
nenhum olhar,
nenhuma palavra;
aproveitar todas as mais pequenas coisas
e fazê-las por amor...
Quero sofrer por amor e gozar por amor.
Assim lançarei flores diante do Teu trono.
Não encontrarei nenhuma
sem a desfolhar para Ti...
E depois, ao lançar as minhas flores, cantarei,
(poder-se-ia chorar ao praticar uma ação tão alegre?),
cantarei, mesmo quando tiver de colher as minhas flores
no meio de espinhos;
e o meu cantar será tanto mais melodioso
quanto maiores e mais agudos forem os espinhos.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Manuscrito B, 4rº-4vº

Os frutos do sacrifício

«O sacrifício,
abraçado generosamente
e sem retrocesso,
dará à alma
um fruto centuplicado!»

Beata Maria Cândida da Eucaristia | 1884 - 1949
Cartas III. 9.

Porque em mim confiou, hei-de salvá-lo

Salmos 91(90),1-2.10-11.12-13.14-15.

Tu que habitas sob a proteção do Altíssimo
e moras à sombra do Omnipotente,
diz ao Senhor: «Sois o meu refúgio e a minha cidadela: meu Deus, em Vós confio».
Nenhum mal te acontecerá,

nem a desgraça se aproximará da tua tenda,
porque Ele mandará aos seus Anjos
que te guardem em todos os teus caminhos.
Na palma das mãos te levarão,

para que não tropeces em alguma pedra.
Poderás andar sobre víboras e serpentes,
calcar aos pés o leão e o dragão.
Porque em Mim confiou, hei-de salvá-lo;

hei-de protegê-lo, pois conheceu o meu nome.
Quando Me invocar, hei-de atendê-lo,
estarei com ele na tribulação,
hei-de libertá-lo e dar-lhe glória.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Formam asas como as águias !

Leitura do Livro de Isaías

«A quem Me comparareis que seja semelhante a Mim? – diz o Deus Santo – Erguei os olhos para o alto e olhai. 
Quem criou estas estrelas? 
Aquele que as conta e as faz marchar como um exército e as chama a todas pelos seus nomes. Tal é a sua força e tão grande é o seu poder, que nenhuma falta à chamada. 
Jacob, porque dizes; Israel, porque afirmas: ‘O meu destino está oculto ao Senhor e a minha causa passa despercebida ao meu Deus’? 
Não o sabes, não o ouvistes dizer? 
O Senhor é um Deus eterno, criador da terra até aos seus confins. Ele não Se cansa nem Se fatiga e a sua inteligência é insondável. Dá força ao que anda exausto e vigor ao que anda enfraquecido. 
Os jovens cansam-se e fatigam-se e os adultos tropeçam e vacilam. Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, formam asas como as águias. 
Correm sem se fatigarem, caminham sem se cansarem». 

Senhor vem com a tua Misericórdia

"Estas investidas do amor próprio, que alienam a misericórdia do mundo, são tais e tantas que frequentemente nem sequer somos capazes de as reconhecer como limite e como pecado. Este é o motivo pelo qual é preciso reconhecer que somos pecadores para reforçar em nós a certeza da misericórdia divina. 
E ensinou aos fiéis uma “oração fácil”, ao reconhecer diariamente nossa condição de pecadores, devemos implorar a Deus: “Senhor, vem com a tua misericórdia”.

Audiência 9-XI-2015
Papa Francisco

Pôr em prática a misericórdia nas circunstâncias comuns

Animando-nos a zelar por nossos maridos, esposas e filhos, o Papa afirmou que o matrimonio é como uma planta, um planta que está viva e que precisamos cuidar todos os dias. Igualmente, a vida de um casal jamais deve ser dada por ‘óbvia’, em nenhuma fase... e convidou a recordar que o dom mais precioso para os filhos não são as coisas, mas o amor dos pais, o amor entre eles em sua relação conjugal – o que faz bem tanto a eles mesmos como a seus filhos.

Antes de despedir-se, o Papa Francisco convidou a termos a misericórdia como meta nas relações entre os cônjuges, entre os pais e os filhos e entre os filhos e os irmãos, sem descuidarmos dos avós. 
Porque como explicou, é preciso viver o Jubileu na Igreja doméstica e não só nos grandes eventos, tendo em conta que o Senhor ama quem põe em prática a misericórdia nas circunstâncias comuns.
Concluindo, disse que seu desejo é que experimentemos a alegria da misericórdia, começando por nossas famílias, e pediu que a levássemos a todos os nossos parentes, amigos, idosos e enfermos.

Audiência 21-XI-2015
Papa Francisco

Etiquetas

Arquivo do blogue